Infantário da Matola na província de Maputo esgota capacidade de acolhimento

O INFANTÁRIO da Matola, na província de Maputo, está com a capacidade de acolhimento esgotada, devido ao aumento do número de crianças abandonadasque são encaminhadas a este lar.

Tuteladopelo Ministério do Género, Criança e Acção Social, o infantário tem a capacidade para 50 crianças, sendo que no momento acolhe 70 menores de idade não reclamadas pelos progenitores.

Domingas Marrumbe, directora do infantário, disse que, dascrianças acolhidas, dez deram entrada no final do ano passado e, mesmo com a divulgação da identidade dos pais, ninguém apareceua reclamá-las, facto que leva a concluir que se tratar de abandono. “Algumas são desta província e conhecem os nomes dosfamiliares”, referiu.

Indicou que a maioria das crianças tem doenças que requerem cuidadosespeciais, tendo sido abandonadas no portão dainstituição por pessoas desconhecidas.

Marrumberevelou que o número de crianças abandonadas tende a crescer na província de Maputode há algum tempo para cá.

“Nopassado a situação não era tão crítica assim.Osnúmeros aumentaram significativamente”, lamentou.

Apesar de muitas crianças terem sido deixadas por rejeição, no ano passado51 crianças beneficiaram de integração familiar, depois de uma investigação que culminou com a identificação dosprogenitores.

Marrumbe acrescentou que o Infantário da Matola aloja criançascom idades avançadas, o que dificulta a assistência, uma vez que os funcionários da instituição foram treinados para atender menores doze anos.

“Há anos que algumas crianças vivem neste lugar, e porque ninguém da família aparece para resgatar, elas crescem e ultrapassam a idaderecomendável”, explicou.(Jornal Noticias)