ONU acredita no diálogo entre Filipe Nyusi e Mariano Nhongo

O ENVIADO pessoal do Secretário-Geral das Nações Unidas para Moçambique, Mirko Manzoni, acredita existir espaço para o início do diálogo entre o Presidente da República, Filipe Nyusi, e o líder da auto-proclamada Junta Militar da Renamo (JMR) Mariano Nhongo, para a busca de uma paz efectiva sobretudo na região centro de Moçambique.

Numadeclaração distribuída quarta-feira (06)à imprensa, Manzoni, que é igualmente presidente do Grupo de Contacto, refere que 2021 renova o compromisso de apoiar os moçambicanos na busca pela paz.

“Acreditamos que existe um ambiente propício ao diálogo com o Presidente Nyusi”, lê-se na declaração.

Manzoni diz sentir-se encorajado pela trégua anunciada a 23 de Dezembro último pela JMR, afirmando ser uma clara demonstração da importância atribuída à paz e do “seu desejo (da JMR) de pôr fim ao conflito no centro de Moçambique”.

O enviado pessoal de António Guterres refere ainda que a trégua de sete dias anunciada no final de Outubro último pelo chefe do Estado moçambicano, é também um sinal de boa vontade e empenho para a resolução de problemas através de meios pacíficos.

Estes avanços representam, segundo Manzoni, um progresso concreto e “iremos apoiar todos os esforços no sentido de dialogar com uma delegação nomeada pela JMR”.

“Temos esperança que 2021 seja um ano pacífico para todos os moçambicanos”, acrescenta.

Na altura em que anunciou trégua, Nhongo comprometeu-se a enviar uma equipa constituída por cinco homens para a mesa de diálogo com o Governo moçambicano.(JN)