Apesar de impasses em Ressano, Moçambique sublinha “laços excelentes” com África do Sul

Um verdadeiro drama. Na verdade, “drama” é a palavra usada pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago, na descrição que faz sobre o que se vive em Ressano.

“Aquilo é um drama”, deplorou o dirigente, durante um encontro que juntou o ministro do interior, bem como os vice-ministros dos Negócios Estrangeiros e Cooperação e do Trabalho e Segurança Social.

Na reunião, que decorreu na manhã desta quarta-feira, em Maputo, os dirigentes discutiram sobre as alternativas para ultrapassar o embaraço na fronteira.

“Foram apresentadas três principais alternativas. Nomeadamente, trabalharmos com as autoridades sul-africanas, para aumentarmos a capacidade de testagem rápida a nível da fronteira – quer do lado moçambicano, quer do lado sul-africano – envolvendo as empresas de ambos países”, disse o ministro.

“A segunda proposta que estamos a colocar diz respeito aos nossos mineiros. Os que já deviam estar nos seus empregos. Por isso, vamos dar prioridades a uma linha e aqui há concordância com a parte sul-africana, que os mineiros sejam atendidos com a devida prioridade”, avançou Tiago.

“A terceira proposta de solução era avançarmos com o alargamento do horário, mas recebemos informações que esse alargamento do horário deve ser visto com o nível do confinamento que a África do Sul tem. Portanto, depois da discussão com as autoridades sul-africanas poderemos ver como será”, disse Tiago, apontando tais ideias como as alternativas propostas para enfrentar o drama em Ressano.

E quanto à recusa da África do Sul sobre os testes oriundos de Moçambique, o ministro garantiu que o assunto está sob responsabilidade dos Negócios Estrangeiros, sendo que “dentro em breve vai articular com as autoridades competentes, para permitir que essa recusa possa ser resolvida. E nós queremos que seja resolvida hoje”, frisou.

Apesar de todos esses aspectos, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação fala de “bons laços” com a vizinha África do Sul, e que o país tinha informado sobre possíveis impasses com o confinamento que seria imposto.

“As relações são boas. São excelentes. O que se está a passar é apenas é uma fase”, expressou Manuel Gonçalves, vice-ministro dos negócios estrangeiros e cooperação.

Já o Ministro do Interior, Amade Miquidade, realçou que, de forma particular, o sector da polícia sul-africana têm mantido conversações com Moçambique.

O PAIS