Funcionário de hospital sabota vacina contra a Covid-19

As teorias da conspiração sobre os efeitos da vacina contra a Covid-19 nos humanos não são novas, e muito menos escassas.

Stephen Brandenburg, funcionário de um hospital privado no Wisconsin, Estados Unidos, foi mais longe e decidiu ir da teoria à prática ao sabotar, propositadamente, mais de 500 doses da vacina da Moderna, contra a Covid-19.

O conspiracionista deixou 57 frascos da vacina da Moderna – que equivalem a 570 doses – fora da regrigeração a que deviam estar conservadas. O homem confessou que o fez, na véspera de Natal, por acreditar que as vacinas não eram seguras para as pessoas, podiam fazer-lhes mal e até alterar o ADN.

A sabotagem só foi descoberta no dia de Natal, 25 de dezembro, e Brandenburg foi despedido e preso uma semana depois. (CM)