Falta de chuva compromete níveis da barragem que abastece Maputo

A albufeira dos Pequenos Libombos, que abastece a capital moçambicana, está com baixos níveis de armazenamento devido a falta de chuva, disse hoje à Lusa fonte oficial.

A situação está sendo agravada pela escassez de chuva que vem contrariando as previsões que indicavam, sobretudo para a região sul, chuvas normais e acima do normal”, disse Agostinho Vilanculos, dirigente da Direção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos.

A barragem dos Pequenos Libombos está com 19% de armazenamento, dos 30% esperados para esta época, uma situação que afeta também a barragem de Corumana, no sul, que está com 23%, e a de Nampula, no norte, com 30%.

“Estamos a descarregar mais em relação ao que está a entrar. Essa situação agrava o armazenamento nessas albufeiras”, referiu.

Segundo a fonte, a situação das albufeiras da zona sul de Moçambique agravou-se entre outubro e novembro, período em que se registaram 30 milímetros de precipitação, para os 80 a 100 milímetros esperados.

“A chuva é o elemento mais importante. Quando não chove não há milagre nenhum”, frisou.

Em relação a albufeira de Nampula, que abastece a cidade capital da província, Agostinho Vilanculos alertou para o risco de se avançar para o nível “crítico”, caso não chova nos próximos 15 dias.

“Em Nampula a água está a acabar. É uma barragem pequena e os 30% não são suficientes, é muito pouco. Estamos já a fazer restrições, fornecemos água durante seis horas por dia”, explicou.

Em Maputo, as autoridades têm “alguma esperança” e continuam a distribuir água a 100% na província e cidade de Maputo.

“Ainda não alterámos as regras de operação, temos esperança de que vai chover”, sublinhou

Sem avançar dados específicos, a fonte disse que se está a estudar o cenário para avaliar que medidas aplicar caso a situação se agrave.

“Apelamos à população para que continue a observar medidas de contenção, pois a água está a ficar cada vez mais escassa”, concluiu.