Activos de Moçambique não serão confiscados por China por não ter pago a dívida

Não há indícios de que a China tenha intenção de se apoderar dos activos de Moçambique por não ter pago a dívida avaliada em 2.02 biliões de dólares, dos quais 1.7 bilião foi investido no sector de estradas e pontes.

O Governo, chefiado pelo Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, esteve semana finda na Assembleia da República (AR) para responder às perguntas dos deputados, sendo que a dívida pública foi uma das preocupações.

Na ocasião, alguns deputados insinuaram que a China estava em vias de expropriar alguns activos, incluindo infra-estruturas, cuja construção foi por si financiada, como forma de reaver o dinheiro emprestado ao país.

Foi neste contexto que o ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, explicou que 2.02 biliões de dólares de dívida correspondem efectivamente ao montante que o país deve à China, sendo que 1.7 bilião foi investido em estradas e pontes, a exemplo de Maputo-KaTembe e Beira-Machimpanda.(Domingo)