Bolsonaro recua e admite possibilidade de comprar vacina chinesa contra covid-19

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, admitiu na quinta-feira a possibilidade de adquirir a Coronavac, potencial vacina chinesa contra a covid-19, recuando na sua posição anterior, quando vetou a compra do imunizante por parte do Governo.

“Quem vai decidir sobre a vacina [Coronavac] é o Ministério da Saúde e a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão regulador]. Havendo a vacina comprovada, vamos fazer uma compra. Mas não é comprar no preço que o caboclo quer.

Vamos querer uma planilha de custos e eu quero saber se o país [China] usou a vacina lá no seu país. E, no que depender de mim, não será obrigatória”, disse Bolsonaro, na sua transmissão semanal na rede social Facebook.

A declaração do chefe de Estado representa um recuo no posicionamento que vem adotando desde outubro, ocasião em que frisou que não compraria a “vacina chinesa”, obrigando o Ministério da Saúde a recuar na intenção de compra de 46 milhões de doses do imunizante.(LUSA)