Professora condenada à morte após envenenar 25 crianças por vingança

Uma educadora de infância que envenenou 25 crianças, resultando na morte de uma delas, foi condenada à morte por um tribunal da província de Henan, no centro da China, na segunda-feira.

O caso remonta a 27 de março de 2019, quando a professora, depois de se desentender com uma colega sobre os cuidados com as crianças, colocou nitrito de sódio nas papas de aveia que foram dadas aos alunos da colega, por vingança.

O tribunal intermédio de Jiaozuo descreveu, na decisão oficial, que as motivações de Wang Yun foram “desprezíveis” e “malvadas”. “Ela deve ser punida severamente, de acordo com a lei”, escreve o relatório. A sentença de morte foi declarada pelo delito de uso de substâncias perigosas.

Na altura, as notícias davam conta de que várias crianças, entre os três e seis anos de idade, começaram a vomitar a sentir-se mal numa escola, depois de tomarem o pequeno-almoço. Uma delas ficou gravemente doente e acabou por morrer em janeiro deste ano.

Um dos pais das crianças que foram envenenadas disse ao Global Times, em 2019, que recebeu uma chamada do infantário a informar que o seu filho tinha vomitado e desmaiado. Quando chegou ao local, o menino estava inconsciente.

A acusada já tinha tentado envenenar o marido, cujo sobrenome é Feng, em fevereiro de 2017, depois de uma discussão. Na altura, também colocou nitrito de sódio num copo usado pelo companheiro, tendo-lhe causado ferimentos de menor gravidade.

De acordo com o centro de controlo de prevenção de doenças (CDC) norte-americano, citado pela CNN, o nitrito de sódio é tóxico e é normalmente usado como conservante alimentar, podendo também ser usado em fertilizantes, munições e explosivos. Quando concentrado, pode impedir o corpo humano de absorver oxigénio.