Especialistas alertam que 2.ª vaga de covid-19 “afetará mais jovens e será muito diferente”

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

Os especialistas em saúde do Reino Unido dão como certa a existência de uma segunda vaga da atual pandemia do novo coronavírus já este inverno e alertam que esta nova fase da pandemia “poderá afetar mais os jovens” e que será “muito diferente” do que até aqui se tem verificado.

O professor Roger Kirby, presidente da Sociedade Real das Ciências (Royal Society of Sciences), deixou o alerta numa conferencia de imprensa com médicos e especialistas, numa altura em que a ameaça de uma segunda vaga de Covid-19 é uma realidade em muitos países da Europa (como se tem visto, por exemplo, com o aumento do número de casos na Alemanha ou Espanha).

O investigador traçou um paralelo entre a Covid-19 e a pandemia de Gripe Espanhola de 1918 para justificar o alerta deixado. Também na altura, o vírus sofreu mutações numa segunda vaga, que o tornaram diferente. No total, nessa pandemia, morreram mais de 50 milhões de pessoas.

Depois de ter começado em março de 1918, em agosto pensava-se que estaria perto de terminar, mas a Gripe Espanhola voltou a ganhar força e registou novos picos de mortes a nível mundial em setembro e novembro. Nessa segunda vaga, o vírus já tinha ganho uma nova estirpe, que já afetava mais jovens saudáveis (ao invés de serem os mais idosos e pessoas com outras doenças associadas os grupos de maior risco).

“O inverno está a chegar e é quase certo que uma segunda vaga do novo coronavírus virá também. O que vimos em 1918 foi um vírus a mudar e uma segunda vaga muito diferente da primeira, que afetou diferentes grupos de pessoas, particularmente os mais jovens”, explicou Roger Kirby à BBC

Os cientistas temem que se repita o padrão da mais mortal pandemia da história da Humanidade. Os gráficos que mostram que o número de mortes na Gripe Espanhola de 1918 formam um ‘U’ nas primeiras duas vagas mas, na terceira vaga, o mesmo gráfico mostra uma linha em ‘W’, onde se verificou um aumento desproporcional no número de mortes na faixa etária entre os 20 e os 40 anos.

Roger Kirby alerta ainda que a obesidade é um fator de risco nesta segunda vaga da pandemia de Covid-19 e que as pessoas com excesso de peso correm também maior perigo. “Aqui no Reino Unido temos um problema enorme que é a obesidade e temos que chamar a atenção para isto. Que todos os pacientes deste mundo entendam esta mensagem: se querem proteger-se da segunda vaga, é absolutamente crucial manterem hábitos de vida saudável e perder peso [quem é obeso]”.

CM

Leia Também: Vacina contra a Covid-19 deverá custar entre 50 a 60 dólares