O regresso às aulas em Moçambique: Não pode brincar-se com saúde das pessoas

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

O reitor da Universidade Pedagógica de Maputo (UP Maputo), Jorge Ferrão, afirmou ontem, que o regresso às aulas não pode ser uma “aventura”, muito menos “brincar-se com saúde das pessoas”.

Com a reabertura do ano lectivo à porta, as universidades públicas em Moçambique têm agendado para primeira semana de Agosto próximo, uma reunião de concertação para acelerar o regresso.

Recorda-se, que as escolas foram encerradas há cerca de quatro meses devido a propagação da pandemia da COVID-19.

Entretanto, o reitor da Universidade Pedagógica de Maputo (UP Maputo), Jorge Ferrão, defendeu que a retoma às aulas no ensino superior “não deve ser uma aventura e brincar-se com a saúde das pessoas”.

“É preciso observar todas condições de segurança sanitária. Nós estamos preparados, mas dependemos do aval a nível superior (Levantamento de restrições por parte do Governo)”, disse Jorge Ferrão.

Em relação a UP Maputo em particular, o académico e antigo ministro da Educação revelou que a sua instituição vai priorizar os estudantes de pós-graduação, defesa e monografia.

Jorge Ferrão falava aquando da apresentação do primeiro lote de álcool gel, produzido pelo laboratório químico da Faculdade de Ciências Naturais e Matemática da Universidade Pedagógica de Maputo.

Segundo o director da Faculdade de Ciências Naturais e Matemática da UP Maputo, Armindo Monjane, recorreu-se ao melaço e folhas de eucalipto para produzir o álcool gel.

A cerimónia foi igualmente marcada pela oferta de termómetros laser, pela seguradora estatal Emose e álcool-gel à Escola Secundária da Munhuana.

O PAIS

Leia Também: Rússia espera aprovar vacina contra Covid-19 em menos de duas semanas