Fisiculturismo moçambicano Bruno Saraiva carece de patrocínio

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

Fisiculturismo moçambicano Bruno Saraiva que venceu três categorias de fisiculturismo na China, o jovem desportista afirma que há falta de patrocínio para os fazedores da modalidade.

Em entrevista ao Dossiers & Factos, Saraiva conta que sempre procurou conciliar as duas modalidades, mas acabou encontrando “química perfeita” com o fisiculturismo.

O jovem fisiculturista moçambicano entende que, apesar de se tratar de uma nova modalidade desportiva, nos últimos tempos, pessoas de diferentes idades têm a abraçado, seja como estilo de vida, bem como de forma profissional.

Saraiva entende, porém, que apesar da aceitação do público, que tem respondido de uma forma positiva, há necessidade de intensificar a apreciação dos desfiles de músculos no país.

O desportista repisa, por exemplo, que quando há campeonatos internacionais e nacionais, os atletas são obrigados a recorrer a fundos próprios para a logística, por falta de patrocínio, por um lado, e apoio do Governo, por outro, mas acredita que é uma situação normal, por se tratar de uma actividade recentemente conhecida em Moçambique.

Saraiva afirma que no estágio inicial em que a modalidade se encontra, o nível de competições é satisfatório, mesmo não havendo muitos torneios internamente.

De acordo com Saraiva, os fisiculturistas, para trazer mais experiência aos campeonatos nacionais, têm viajado pelo mundo fora, como estratégia para melhorar o fisiculturismo moçambicano, visto que os países de fora já têm mais história na modalidade e exigem mais dos atletas.

“Faltam empresários que acreditem e apostem neste desporto”

Bastante rodado internacionalmente, Saraiva defende que os empresários e marcas nacionais devem apostar mais no desporto, tal como acontece noutras rodagens.

Olhando particularmente para a modalidade que move o seu coração, Saraiva fala da necessidade de se investir nos fisiculturistas, e deixa um repto aos atletas da sua modalidade, para deixarem as desavenças e serem unidos. “Falta união entre os fisiculturistas, há uma rivalidade sobre quem é melhor que o outro”, observou.

Dossiers & Factos