Avanço lento da Covid-19 em África “é uma lição para alguns países” desenvolvidos

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, afirmou hoje que os países desenvolvidos deviam aprender com as “medidas preventivas muito corajosas” adotadas por alguns países africanos para limitar a propagação de covid-19.

“Das previsões que fizemos no início [da pandemia], a covid-19 avançou de maneira muito mais lenta” do que se esperava em África, afirmou António Guterres, em entrevista à rádio pública francesa RFI.

Segundo Guterres, o avanço lento do novo coronavírus no continente africano deve-se ao facto de “a maioria dos governos e sociedades africanas terem adotado medidas preventivas muito corajosas a tempo, o que é uma lição para alguns países desenvolvidos que ainda não o fizeram”.

Com menos de 3.000 mortes e cerca de 88.000 casos, África está a ser relativamente pouco afetada pela pandemia, que já provocou a morte de mais de 320.000 pessoas em todo o mundo.

Durante a entrevista, o secretário-geral da ONU considerou ainda que a suspensão dos pagamentos do serviço da dívida para os países mais pobres, concedida em meados de abril por vários credores públicos, foi uma medida insuficiente.

“Precisamos de nos preparar para um alívio direcionado da dívida e uma abordagem mais abrangente e estrutural para evitar a todo o custo no futuro uma série de falências que possam levar à depressão”, recomendou.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 320 mil mortos e infetou quase 4,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios.Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.(LUSA)