Moçambicanos linchados no Maláui após serem acusados de ter coronavírus

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

Dois cidadãos moçambicanos morreram vítimas de linchamento no Maláui, após populares os terem acusado de serem disseminadores da covid-19, informou hoje fonte oficial.

“Infelizmente, as vítimas pararam a sua viatura numa vila onde a população acredita em boatos e foram linchados”, disse Frank Elias, alto comissário do Maláui em Moçambique, citado pelo canal privado Stv.

Um dos mortos era agente da Polícia da República de Moçambique, que se fazia acompanhar de duas pessoas, uma das quais sobreviveu.

Os três moçambicanos tinham como destino a Tanzânia e supõe-se que tenham estacionado o carro para descansar, tendo a população local os associado a “disseminadores da covid-19”.

As autoridades moçambicanas ainda não foram notificadas oficialmente e os corpos vão ser transferidos na terça-feira para Moçambique.

“Até aqui sabemos que foi uma ação popular, numa situação de medo e de preocupação. É uma coisa muito triste”, afirmou a ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Verônica Macamo.

O Maláui disse que os autores do crime já estão sob custódia policial.(LUSA)