Covid-19: Governo moçambicano admite aumento dos preços

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

O Governo admite que este vai ser um ano difícil para os cidadãos, por causa da pandemia do novo coronavírus. O Programa Quinquenal do Governo foi aprovado esta sexta-feira (03) pela FRELIMO.

Governo (PQG) saído das eleições gerais de 15 de Outubro de 2019, cujos resultados foram contestados pela oposição.

O PQG é aprovado num contexto conturbado devido à propagação do novo coronavírus, que levou o chefe de Estado, Filipe Nyusi, a declarar o estado de emergência de 30 dias, em vigor até ao final do corrente mês Abril. Até agora, foram registadas 10 infecções no país.

O primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, admite que a actual situação vai propiciar este ano um abrandamento da economia, a depreciação da moeda nacional e o aumento dos preços dos produtos de primeira necessidade.

“Iremos adoptar facilidades aduaneiras e fiscais para o sector empresarial com vista a reanimar a actividade económica”, garante do Rosário.

“A par disto, estamos a interagir com os nossos parceiros de cooperação na mobilização de recursos para, entre outros, reforçar o programa de proteção social, alargando o número de beneficiários, atenuar o impacto do novo coronavírus no tecido empresarial nacional, sobretudo nas micro, pequenas e médias empresas, financiar o défice do Orçamento do Estado com vista a assegurar a provisão de medicamentos, bens e serviços essenciais.”

Para aliviar o impacto da Covid-19, a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO, maior partido da oposição) desafiou o Governo a distribuir gratuitamente alimentos pelas famílias mais pobres e a aumentar os salários do pessoal dos setores da saúde e segurança.

FONTE: MSN