Testes de coronavírus comprados por Espanha à China não funcionam bem

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

O Governo espanhol pretendia começar a testar as camadas mais amplas da população com testes rápidos ao coronavírus. No entanto, vários laboratórios de microbologia dos grandes hospitais explicam que estes mesmos testes não funcionam bem.

Segundo o jornal El País, que cita uma fonte que participou nos testes, os resultados preliminares das análises feitas com os kits recém-chegados da China não correram como previsto.

Os testes rápidos, fabricados pela empresa chinesa Bioeasy, com sede em Shenzhen, têm uma sensibilidade de 30%, quando deve ser superior a 80%, indicam essas fontes.

Os especialistas concluíram que o melhor seria continuar a usar o teste atual, baseados numa técnica molecular designada PCR (reação em cadeia da polimerase).