Algumas Mulheres Saem de casa de capulana para esconderem que se vão prostituir

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

Vovó Teresa Salomão, residente no bairro de KaMaxakeni província de Maputo

Sempre foi uma canção popular que é preciso trabalhar – e trabalhar duro – para garantir o sustento da família. Trata-se de uma missão que cabe perfeitamente em homens e mulheres, de tal modo que, hoje em dia, encontramo-las ombreando com a classe masculina em diferentes sectores, exibindo a sua musculatura.

Seja como for, um facto chama atenção da vovó Teresa Salomão: “a existência de algumas mulheres que se disfarçam de vendedeiras, montam bancas ou circulam de peneiras de amendoim na cabeça, só para tapar a cara dos maridos ou dos pais”, denuncia a vovó Teresa. Explicando, afirmou que se trata de pessoas que ganham a vida prostituindo-se, às escondidas. Na verdade, só para citar um exemplo, “elas torram amendoim, posteriormente, tomam banho, amarram capulana e saem como se de facto fossem vender esse produto”. No entanto, continuou a vovó Teresa, “debaixo da capulana vestem-se de roupa curta, que exibem quando chega a hora de vender o corpo”.

Na sua opinião, essas mulheres faltam com a verdade: “elas mentem, o que não é correcto”, daí que pede que as mesmas “assumam o que fazem, de facto, ou deixem de lado essa vida suja, pois existem maneiras dignas de ganhar dinheiro”, encerrou.

(Por: Jornal Domingo)