Total partilha mais oportunidades de negócio em Cabo Delgado

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

A principal contratada encarregada da construção de duas unidades iniciais de liquefação do Projecto Mozambique LNG, liderado pela Total, juntamente com as suas principais subcontratadas, apresentaram esta semana, a comunidades empresariais em Pemba, os seus planos futuros de aquisições de bens e serviços, e os padrões e procedimentos exigidos para os mesmos.

Trata-se da CCS JV, o principal consórcio contratado para engenharia, aquisições e construção da instalação de GNL, e as empresas subcontratadas IFS (gestão de acampamento), Garda World (serviços de segurança), e o consórcio Renco-Dorce-WBHO (construção de acampamento).

Este seminário segue-se aos seminários havidos em Dezembro passado em Maputo e Matola.

Na ocasião, o Secretário Permanente do Governo da província de Cabo Delgado, António Mapure, afirmou: “Este fórum, organizado pela Total, em Cabo Delgado, surge como uma experiência endógena de convergência de investimento directo estrangeiro e interesses locais de desenvolvimento”. Mapure apelou ainda aos empresários a unirem-se em consórcios, cooperativas e associações para maximizarem as oportunidades de negócio,
tendo afirmado que a união faz a força e que ” hoje, mais do que nunca, é imperioso a coesão dos empresários moçambicanos.

Recomendamos vivamente a investirem na adaptação rápida ao contexto que se apresenta para fazer negócios com estas empresas nos padrões exigidos e desta forma darem um salto gigante para a competitividade e internacionalização”.

Por sua vez, Thomas Rodriguez, Gestor de Conteúdo Local da Total, afirmou: “o desenvolvimento de conteúdo local é parte integrante do nosso modelo de negócios. Uma boa comunicação com as partes interessadas é essencial para uma contribuição duradoura e sustentável para o desenvolvimento económico e social dos territórios que nos acolhem.

Elas conhecem o país e nós conhecemos as nossas necessidades. É por isso que a disseminação de informações relacionadas com as oportunidades de negócio com o projecto é um pilar central do nosso plano de conteúdo local”.

Rodriguez acrescentou que “o Projecto espera adjudicar contratos de cerca de 2.5 mil milhões de dólares americanos a empresas de capitais moçambicanos ou registadas em Moçambique durante o período de construção.

Esta adjudicação representa mais de um terço do nosso contrato total, com a maior parte do remanescente estando a ser usado na aquisição em bens e serviços técnicos altamente especializados que actualmente não podem ser adquiridos em Moçambique”.

Desde Abril passado, o projecto já abrangeu 798 empresas em 11 seminários que visavam divulgar as oportunidades de negócio e treinar empresas em vários assuntos, incluindo higiene, segurança e meio ambiente, conformidade legal e procurement.