Terapia antienvelhecimento vai ser testada em humanos

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

Uma empresa vai iniciar os testes clínicos em humanos para uma terapia antienvelhecimento. Os voluntários terão de pagar 1 milhão de euros para participarem.

O “elixir da juventude” é uma realidade cada vez maior. A Libella Gene Therapeutics está a dar um grande passo na indústria ao iniciar os testes em humanos de uma terapia de antienvelhecimento. Os voluntários que estejam interessados em participar terão de pagar 1 milhão de dólares.

Apesar de ainda estar em fase experimental, a empresa garante que esta terapia consegue reverter o envelhecimento em até 20 anos. Ainda sem a aprovação da Food and Drug Administration (FDA), os testes clínicos serão feitos na Colômbia.

Segundo o SingularityHub, à medida que envelhecemos, os nossos telómeros — extremidades dos cromossomas — vão diminuindo. O objetivo da terapia é tentar reparar os telómeros, que são uma das estruturas que se acredita serem responsáveis pelo envelhecimento.

Embora seja apelativo a muitas pessoas, esta terapia poderá ter algumas consequências que não foram calculadas pelos cientistas da Libella Gene Therapeutics. Alguns especialistas defendem que os testes são antiéticos, mal planeados e representam um sério risco para os voluntários, podendo ativar células cancerígenas adormecidas.

Cada vez mais os investigadores acreditam que é possível reverter o envelhecimento e os esforços para o conseguir fazer são contínuos. Apesar do preço, muitos milionários não se importarão de gastar uma parcela da sua fortuna para parecem e sentirem-se mais novos.

Ainda em maio deste ano, cientistas anunciaram que uma experiência no Espaço pode ajudar no desenvolvimento de novas terapias antienvelhecimento. O objetivo é testar os efeitos da microgravidade em células vivas misturadas com pequenas partículas de cerâmica.

No futuro, estes possíveis avanços poderiam resultar em terapias promissoras. A nanoceria tem o potencial de prevenir a atrofia muscular em astronautas, além de agir como uma terapia antienvelhecimento para pessoas idosas ou vítimas de Parkinson e outras formas de atrofia muscular.

A Agência Espacial Europeia prevê ainda aplicações cosméticas, como “tratamentos para uma pele mais brilhante e jovem”.

ZAP

Loading...