Coreia do Norte diz Estados Unidos têm pouco tempo para salvar as negociações sobre o programa nuclear

Partilha Esta Noticia com os Seus Amigos

A Coreia do Norte repetiu hoje que os Estados Unidos têm pouco tempo para salvar as negociações sobre o programa nuclear, sublinhando caber inteiramente a Washington escolher que “presente de Natal” pode receber de Pyongyang.

Esta declaração, atribuída a um diplomata, surgiu quando a Coreia do Norte continua a aumentar a pressão sobre a administração do Presidente norte-americano, Donald Trump, e o Governo sul-coreano, à medida que se aproxima o prazo do final do ano para que os Estados Unidos proponham os termos de um acordo mutuamente aceitável para todas as partes.

As negociações estão num impasse desde a cimeira de fevereiro, entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e Donald Trump, que terminou sem acordo e depois de Washington ter rejeitado as exigências de Pyongyang relativas a um abrandamento das sanções económicas em troca de uma “rendição” parcial das capacidades nucleares do Norte.

Reuniões de trabalho realizadas em outubro, na Suécia, terminaram devido aquilo que os norte-coreanos descreveram como “a velha posição e atitude” dos norte-americanos.

Um vice-ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano encarregado das questões norte-americanas, Ri Thae Song, acusou os negociadores norte-americanos de repetirem propostas de negociações destinadas apenas a ganhar tempo, sem proporem quaisquer soluções reais.

Ri reiterou a anterior posição e declarações da Coreia do Norte de que o país só continuará com a diplomacia nuclear, se obtiver algo substancial em troca.

“O diálogo elogiado pelos Estados Unidos não representa nada e é apenas um truque para manter a República Popular Democrática da Coreia presa ao diálogo, usado em favor da situação política e das eleições nos Estados Unidos”, afirmou Ri, de acordo com a imprensa oficial norte-coreana.

“O que resta é uma opção dos Estados Unidos e cabe aos Estados Unidos escolher que presente de Natal podem receber”, acrescentou.

Kim tinha afirmado já que vai procurar “um novo caminho” se Washington mantiver as sanções e a pressão. O Norte realizou vários testes de sistemas de mísseis nos últimos meses, o que peritos consideraram alargar potencialmente a capacidade para atacar alvos na Coreia do Sul e no Japão.

LUSA