Ultimate magazine theme for WordPress.

Ossufo Momade defende extradição de Chang e suspensão da dívida no Orçamento do Estado

O coordenador interino da Renamo, maior partido da oposição moçambicana, manifestou ontem apoio à extradição do ex-ministro das Finanças Manuel Chang para os Estados Unidos e defendeu a suspensão da incorporação da ‘dívida oculta’ no Orçamento do Estado de 2015.

Na sua primeira reacção à detenção Manuel Chang, também deputado da Frelimo, a 29 de Dezembro, em Joanesburgo, África do Sul, no âmbito da investigação às “dívidas ocultas” de Moçambique, Ossufo Momade frisou que os países envolvidos deviam prosseguir com as acções judiciais para responsabilizar quem classificou como “lesa-pátrias”.

“Queremos, de forma pública, encorajar os governos dos Estados Unidos da América, da República da África do Sul, Inglaterra e outros países amigos de Moçambique, a prosseguir com as acções judiciais de modo a salvar-nos deste pesadelo (dívida) que está a matar os moçambicanos”, disse à Lusa Ossufo Momade, em declarações por telefone a partir da serra da Gorongosa.

O responsável da Renamo manifestou ainda estranheza pelo silêncio dos elementos do governo e da Assembleia da República de então, face à detenção de Manuel Chang e à divulgação de uma lista de 16 pessoas visadas pela investigação.

Momad lançou duras críticas contra Procuradoria-Geral da República, que, no seu entender, mostrou incapacidade e inoperância no processo.

LUSA