Ultimate magazine theme for WordPress.

Fronteira de Ressano Garcia, será aberta 24 horas por dia, a partir do próximo mês

A FRONTEIRA de Ressano Garcia, entre Moçambique e África do Sul, será aberta 24 horas por dia, a partir do próximo mês.

A garantia foi dada pela Ministra das Relações Internacionais e Cooperação sul-africana, Lindiwe Sisulu, em conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo moçambicano, José Pacheco, após conversações entre os governos dos dois países, no âmbito da visita que o Presidente Cyril Ramaphosa efectuou sábado ao nosso país.

“O Governo moçambicano solicitou que até Abril a fronteira dos Libombos, em Ressano-Garcia, passe a estar operacional 24 horas e nós prometemos que isso será feito”, disse Sisulu.

Sem entrar em detalhes, a chefe da diplomacia sul-africana avançou que uma das questões levantadas pelo Governo moçambicano, e a ter em conta com alguma urgência, é a facilitação de vistos para os moçambicanos residentes na África do Sul.

O Presidente Ramaphosa veio apresentar-se ao Chefe do Estado moçambicano, Filipe Nyusi, como Presidente da África do Sul e em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Nas conversações havidas, as delegações dos dois países, lideradas pelos respectivos presidentes, passaram em revista várias matérias de carácter económico e político.




Segundo o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco, também ficou claro o interesse que há de incrementar a cooperação no domínio económico. “Aquilo que já está a ser implementado nas várias áreas a nível de infra-estruturas, transportes e comunicações, recursos naturais, áreas de conservação e agricultura deve ser elevado. Portanto, o desafio que há é de promover os mecanismos para acelerar e alavancar a cooperação económica nas mais variadas áreas”, disse Pacheco.

O governante referiu que o primeiro passo a ser dado depois desta visita de trabalho será a realização da reunião 3ª da Comissão Binacional na África do Sul, onde todas as matérias serão analisadas em profundidade e tomadas decisões para traduzir as palavras em actos concretos para que os dois povos conheçam cada vez mais progressos, rumo ao bem-estar das respectivas populações.

Ramaphosa está a fazer um périplo por países da SADC, depois de chegar ao poder no mês passado, na sequência do afastamento de Jacob Zuma. Ele chegou a Moçambique, depois de ter estado em Angola, que preside ao órgão da defesa e segurança da região, Botswana e Zimbabwe.

Texto:Notícias

Loading...