A Autoridade Tributária de Moçambique (AT) anuncia arrecadação acima da meta prevista

38

Autoridade Tributária arrecadou 173 mil milhões de meticais (2,3 mil milhões de euros) em receitas fiscais em 2016, ultrapassando a meta inicialmente projetada, anunciou hoje a presidente da instituição.




A nossa meta ajustada estava em 165 mil milhões de meticais (2,2 mil milhões de euros) e os resultados que tivemos mostram que estivemos acima daquilo que havia sido estabelecido”, declarou Amélia Nakhare, numa conferência de imprensa de balanço preliminar da execução fiscal e aduaneira de 2016.

Amélia Nakhare disse que os impostos internos contribuíram com 70 por cento do valor arrecado e, desta percentagem, a região sul, principalmente a cidade de Maputo, teve um peso muito forte.

“A nossa principal preocupação agora está na eficiência, queremos melhorar a forma de cobrar os impostos”, sublinhou a presidente da AT, que aponta as províncias de Inhambane e Gaza, sul de Moçambique, como os pontos em que a atuação da instituição foi mais eficaz, apesar de as metas estabelecidas nestes locais serem “menos ambiciosas”.

O alargamento da base tributária foi apontada pela presidente como um dos principais desafios da AT em 2017 e, para o efeito, o Governo está estudar mecanismos de cobranças de receitas a nível informal, através de um regime simplificado.

“Queremos que as pessoas percebam que não precisam de uma contabilidade completamente organizada para pagar os impostos. Queremos evitar a fuga ao fisco”, referiu Amélia Nakhare, avançando, a título de exemplo, que pelo menos de 60% das bebidas no mercado moçambicano não pagaram impostos.




Amélia Nakhare afirmou ainda que a fiscalização fronteiriça e a melhoria dos recursos humanos são prioridades para o seu executivo e a AT prevê aumentar a sua frota de viaturas para melhorar a monitoria.

“Moçambique é um país grande e, por isso, temos de ter uma estrutura capaz de responder às exigências de todo território”, salientou.

Fonte:Noticias ao minuto




você pode gostar também Mais do autor

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.