Desconhecidos arrancam olhos de um jovem em Manica

2

Primo da vítima é acusado de ser o autor do crime

Júlio Fernando Avanço, jovem de 22 anos, estudante da 12ª classe, foi arrancado os olhos pelo próprio primo na cidade de Chimoio, em Manica. Segundo contou a vítima, o primo convidou-o para um local de diversão na cidade de Chimoio, e de modo a atraí-lo, o malfeitor ofereceu-lhe 30 meticais.

<style>
.responsivo { width: 300px; height: 50px; }<br />@media(min-width: 500px) { .responsivo { width: 468px; height: 60px; } }<br />@media(min-width: 800px) { .responsivo { width: 660px; height: 90px; } }<br /></style>

<script async src=”//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js”></script>
<!– responsivo –>
<ins class=”adsbygoogle responsivo” style=”display: inline-block;” data-ad-client=”ca-pub-2716156602889095″ data-ad-slot=”4968726361″></ins>
<script>
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>

“O meu primo apareceu e convidou-me para nós sairmos. Chegamos ao local onde ele havia-me dito que iriámos, deu-me dinheiro e disse para eu procurar uma mulher. Fui e voltei porque não consegui convencer aquela mulher. De repente, fui cercado, as pessoas começaram a bater-me, o meu primo abandonou-me e todas as pessoas me deixaram ali, eu já sem visão. Eles usaram as próprias unhas, os próprios dedos para me tirarem os olhos”, disse Júlio.

<style>
.responsivo { width: 300px; height: 50px; }<br />@media(min-width: 500px) { .responsivo { width: 468px; height: 60px; } }<br />@media(min-width: 800px) { .responsivo { width: 660px; height: 90px; } }<br /></style>

<script async src=”//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js”></script>
<!– responsivo –>
<ins class=”adsbygoogle responsivo” style=”display: inline-block;” data-ad-client=”ca-pub-2716156602889095″ data-ad-slot=”4968726361″></ins>
<script>
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>

O suposto autor do crime nega o seu envolvimento, mas diz conhecer os integrantes do grupo que deixou Júlio cego. A polícia suspeita que o caso esteja ligado ao tráfico de órgãos humanos.

“O indiciado alegou que estavam a tirar aqueles olhos para subtrair deles uma substância valiosa. Quando perguntamos que substância era, o indiciado afirmou que era mercúrio”, disse a porta-voz da PRM, em Manica, Elsídia Filipe.

A PRM já está a trabalhar no sentido de neutralizar os outros integrantes do grupo.

fonto Opais

[fbcommentssync]

você pode gostar também Mais do autor

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.